O Fashion Revolution, a Sustentabilidade e os Brechós

Recentemente, a Entrelinhas participou de vários eventos para falar de sustentabilidade e moda, entre eles, a segunda edição do Fashion Revolution aqui em Campinas e gravação de matéria para Universidade sobre sustentabilidade na moda através de roupas usadas de brechós.

12974551_1434152183277253_6499654302231413530_n

No Fashion Revolution a grande pauta era como podemos realmente contribuir para a construção de uma moda mais sustentável. E os palestrantes sugeriram caminhos diversos…

Rosângela Rubbo poetizou sobre o ofício de costureira e o quanto o fazer artesanal pode ser uma possibilidade de caminho para uma moda mais humanizada. Eduardo Vilas Bôas demonstrou, em cases de sucesso, como o visual merchandising pode ser uma ferramenta eficaz de expressão da sustentabilidade das marcas contemporâneas. Já as consultoras de imagem Tatti Marques e Katy Garcia elucidaram como o processo da consultoria pode ser uma forma de educação para um consumo mais consciente. Por fim, a Brígida Cruz com o seu amplo conhecimento sobre história da moda e como dona de brechó (Brígida é proprietária do Que Chuchu!, em Barão Geraldo), explicou como consumir roupas usadas pode ser uma prática super sustentável.

No trecho abaixo, vocês podem ver um pouquinho da discussão como o consumo em brechós pode ser realmente sustentável:

Vídeo com o trecho do debate.

Brigida em sua palestra ainda disse algo que  ficou cravado em na nossa memória: Roupa usada é a materialidade da história!

Nós aqui da Entrelinhas acreditamos  que nossas roupas carregam histórias, as nossas e de nossas épocas. Por isso é que amamos tanto as roupas e atribuímos a elas muito mais do que a temporalidade que a moda prega, rompendo com o seu descarte, a fazermos atravessar tempos e materializar a história.

Os bazares e brechós são como espécies de catalizadores desses diferentes tempos, por isso é que são ambientes fantásticos e adoráveis. Basta um olhar atento e expert e o que antes era apenas velho, passa a ter novo potencial e a possibilidade de receber infinitos significados dentro do guarda-roupa. Não é mágico isso?

O que faz o consumo de roupas de segunda mão ser sustentável não é somente o fato dessas peças já serem usadas,  mas sim e, principalmente, a possibilidade de formar outro consumidor de moda, aquele que possui muito mais apreço por suas roupas e que, por isso, privilegia comprar roupas com maior durabilidade e qualidade. Conscientização essa que vai na contramão da moda massificada, de roupas descartáveis que geram toneladas de resíduos têxteis na natureza.

Assim, o ciclo da sustentabilidade se completa: consumo consciente, roupas duráveis e menos descarte! 

IMG_5096

Gravação sobre sustentabilidade no Green Brechó em Campinas

Gostaram? Nós amamos os brechós e suas roupas usadas e acreditamos tanto nessa causa que logo logo vocês poderão conhecer nossos garimpos através da nossa loja online de roupas de segunda mão…  Estamos ansiosas por isso!!!

Enquanto a Garimpô não chega, seguimos aqui trabalhando muito e cooperando para a construção de uma moda mais sustentável…

E para terminar,  para vocês se aventurarem e mergulharem no rico universo dos brechós, selecionamos alguns endereços super legais em Campinas e Região:

Que Chuchu! Moda Vintage.

Rua Francisco Andreo Aledo, 9, Barão Geraldo – Campinas-SP

Contato: (19) 99679-7967

Via Brechó

 Rua: Benjamin Constant, 1418 – Centro – Campinas-SP

 Contato: (19) 3367-3542

The MIX Bazar

Rua Joaquim Gomes Pinto, 9, Cambuí – Campinas-SP

Funcionamento: ter-sex 10h-18h e sáb 10h-14h

Bazar da Madame

Rua Saldanha Marinho, 492, Centro – Campinas-SP

Contato: (19) 3381-8608

Espaço Green Brechó

Rua Santos Dumont, 506 – Galeria Toca da Vila, Cambui – Campinas-SP

Contato: (19) 3325-0443

Boutique Brechó Corbini

Avenida Itororó, 75 – Cidade Nova – Indaiatuba-SP
Contato: (19) 3016-6599

 

Aproveitem!

(por Entrelinhas)
Compartilhe nas Redes SociaisShare on FacebookPin on Pinterest

About Author

entrelinhasconsultoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Ir para o topo